HomeMeio AmbienteEstudos de Componentes Bióticos, Abióticos e Zoneamento

Estudos de Componentes Bióticos, Abióticos e Zoneamento

Adoção de medidas para a melhoria das condições ambientais.

ESTUDO E CARACTERIZAÇÃO DE COMPONENTES BIÓTICOS E ZONEAMENTO AMBIENTAL

Os componentes bióticos se referem ao conjunto de seres vivos, animais e vegetais, e suas relações em uma determinada região.

O “Estudo Preliminar dos Componentes Bióticos e Abióticos” das áreas da Sguario Florestal é de grande importância na adoção de medidas para a melhoria das condições ambientais dos remanescentes de florestas naturais existentes, fauna, recursos hídricos, além de possibilitar o estabelecimento de um zoneamento para o conjunto de seus imóveis com posterior definição de zonas de produção, recuperação ambiental e conservação de ecossistemas, entre outras que julgar necessárias para o alcance de seus objetivos de conservação ambiental e produção florestal sustentada.

Já o “Zoneamento Ecológico” da Sguario foi definido por um conjunto de imóveis contíguos, que agrupados definiram vinte Unidades de Manejo Florestal, denominadas Blocos. Para cada Unidade de Manejo foram estabelecidas as Zonas de Produção, Zonas de Preservação e Zonas de Conservação.

Fazenda Pouso e Borda
Fazenda Pouso e Borda
Córrego Rio Taquariquaçu na Fazenda Nossa Sr. Aparecida
Córrego Rio Taquariquaçu na Fazenda Nossa Sr. Aparecida
Fazenda Santana
Fazenda Santana

 

LEVANTAMENTO DE FLORA

Através de pesquisa e levantamentos em campo, foram realizadas mais de 300 parcelas em áreas de reserva e de preservação permanente da SGUARIO, onde obtivemos resultados que mostram que a vegetação nativa da região das áreas da SGUARIO corresponde às formações típicas dos biomas Floresta Ombrófila Mista, Savana (Cerrado) e áreas de transição da Floresta Ombrófila Densa, Mista e Savana.

A Floresta Ombrófila Mista possui uma composição florística caracterizada por gêneros primitivos como Drymis, Araucária e Podocarpus.

O bioma Savana (Cerrado) é caracterizado por apresentar uma vegetação xeromorfa preferencialmente de clima estacional (mais ou menos seis meses secos), não obstante podendo ser encontrado também em clima ombrófilo. Revestem solos lixiviados aluminizados, apresentando sinúsias de hemicriptófitos, geófitos e fanerófitos oligotróficos de pequeno porte, com ocorrência por toda Zona Neotropical.

A Floresta Ombrófila Densa, por sua vez, caracteriza-se por fanerófitos, justamente pelas subformas de vida macro e meso fanerófitos, além de lianas lenhosas e epífitos em abundância que o diferenciam das outras classes de formações, Porém sua característica ecológica principal reside nos ambientes ombrófilos que marcam muito bem a “região florística florestal”. Assim, a característica ombrotérmica da Floresta Ombrófila Densa está presa aos fatores climáticos tropicais de elevadas temperaturas e de alta precipitação bem distribuída durante o ano., o que determina uma situação bioecológica sem período biologicamente seco.

As áreas de transição, ou Áreas de Tensão Ecológica, entre Floresta Ombrófila Densa, Mista e Savana (Cerrado) são denominadas Encrave, sendo caracterizadas por áreas disjuntas que contatam. No caso, mosaicos de áreas encravadas situadas entre duas regiões ecológicas.

Cipó-são-João
Cipó-são-João
Maracuja-do-mato
Maracuja-do-mato
Araucaria angustifolia
Araucaria angustifolia

 

LEVANTAMENTO DE FAUNA

Estudos sobre a fauna nas regiões onde a empresa possui suas propriedades estão sendo realizados; porém esse é um trabalho que demandará um tempo longo devido ao grande número de fragmentos e áreas a serem avaliadas.

Durante o ano de 2007 e principalmente na primavera foi realizada a primeira fase do levantamento de fauna em dois biomas divididos em três ambientes (Cerrado, Mata Ombrófila e Mata de Transição) em três fazendas das áreas da Sguario florestal, vários grupos da fauna foram observados mamíferos, aves, répteis e anfíbios.

Foram registradas 111 espécies de vertebrados para o Cerrado, 110 para a Mata Ombrófila, e 130 para a Mata de Transição sendo que no total foram registradas 140 espécies de vertebrados nesta fase preliminar.

Várias espécies de animais considerados ameaçados foram registradas como, por exemplo, um casal de Gavião-pega-macaco Spizaetus tiranus, nidificando e com filhote, onça parda Puma concolor com filhote, onça pintada Pantera onca, lobo-guará Chrysocyon brachyurus, jaguatirica Leopardus pardalis, gato do mato Felis tigrinus, entre outros, demonstrando a importância das áreas de matas, onde estes animais encontram comida e abrigo.

Vários problemas foram observados, como a presença de muitos caçadores, desmatamentos ilegais, presença de cachorros e gatos domésticos que acabam prejudicando a fauna local, com caça e doenças transmitidas pelos mesmos.

Ficou clara a necessidade de uma campanha regional envolvendo vários órgãos públicos, comunidades e empresas da região, de educação ambiental e punição aos infratores, visando à diminuição deste tipo de ocorrências na região.

Gato-do-mato Felis tigrinus
Gato-do-mato Felis tigrinus
Pula-pula-da-mata Basileuterus culicivorus hipoleucus
Pula-pula-da-mata Basileuterus culicivorus hipoleucus
Jararaca Bothrops jararaca
Jararaca Bothrops jararaca
Quati Nassua nassua
Quati Nassua nassua
Sapo-cururu
Sapo-cururu
Curiango-rabo-de-tesoura Hydropsalis brasiliana
Curiango-rabo-de-tesoura Hydropsalis brasiliana